Arquivo do autor:mmxavier

Disfunções da Tiróide e o papel da Nutrição

0tireoide
A tireóide é uma glândula em forma de borboleta localizada na parte anterior do pescoço responsável por sintetizar dois hormônios: a triiodotironina (T3) e a tiroxina (T4). Estes hormônios tireoidianos são fundamentais no estabelecimento da taxa metabólica global, ou seja são responsáveis pelo equilibro do metabolismo (gasto energético). Muitos ainda confundem ou não sabem o que ela é e quais as diferenças dohipotiroidismo e hipertiroidismo. Um dos maiores jogadores da atualidade (Ronaldo) informou que um dos motivos da sua aposentadoria é hipotiroidismo, logo em seguida aumentou muito a publicação de artigos e assuntos correlacionados a TIRÓIDE.  Quando os níveis de T3 e T4 estão elevados ocorre  o que chamamos de Hipertiroidismo, quando o T3 está abaixo do normal, chamamos de Hipotiroidismo (Doença responsável pela aposentadoria de jogador Ronaldo). Apesar de muitos não conhecerem, estas disfunções tem tratamento, e o indivíduo pode levar uma vida tranquila se seguir o tratamento. Os sintomas que essas disfunções causam, são opostas, enquanto um ganha peso, o outro perde, enquanto um fica depressivo o outro fica nervoso, segue abaixo uma tabela com os sintomas de ambas as disfunções.
SINTOMAS
Hipotiroidismo – Hipertiroidismo
Fadiga – Fadiga
Ganho de peso – Perca de peso
Intolerância ao frio – Intolerância ao calor
Depressão – Irritação
Demência – Insônia
Cãimbras e mialgias – Tremor
Bradicardia – Fragilidade muscular
(Frequência cardíaca baixa)
Constipação – Dispnéia (Dificuldade de respirar)
Irregularidade menstrual – Palpitação
Infertilidade – Taquicardia
Queda de cabelos – Hiperdefecação
Sudorese (suor) – Irregularidade menstrual
Além dos medicamentos, o paciente com disfunção da tireóide deve ser orientado com relação a sua alimentação. É necessário seguir uma dieta equilibrada e orientada por um nutricionista, devendo tomar cuidado com alimentos calóricos e gordurosos, principalmente os portadores de hipotiroidismo. Segue abaixo um dos principais nutrientes que não podem faltar no prato desses pacientes.
Alimentos ricos em tirosina: este aminoácido junto ao iodo, ajuda a formar tiroxina. Fontes: carne, peixe, peito de peru, banana, iogurte, etc.
Iodo: iodo é um elemento responsável para fazer hormônios da tiróide. Você pode encontrar este mineral em sal iodados, peixes e mariscos de água salgada.
Cálcio: Quando o indíviduo tiver hipertioidismo, precisa de uma dieta rica em cálcio. Ex: vegetais verdes-escuro, leite e derivados.
Alimentos ricos em selênio: este mineral ajuda  regularizar a tiroxina, você pode encontrar este excelente mineral no frango, carne, atum, nozes, alho e cebola.
Alimentos ricos  em vitaminas do complexo B: ajudam a manter a saúde dos nervos, pele, olhos, cabelos, fígado e boca. Fontes: banana, batata, lentilha, pimenta, óleo de oliva, peru, fígado e atum.
Alimentos ricos em proteínas de alta qualidade: a proteína é um macronutriente responsável pela reconstrução muscular e glândulas hormonais. Alimentar-se de alimentos fontes de proteínas como as carnes, leite e seus derivados ajuda a conter a letargia.
Disfunções da tiróide, como muitas doenças em nosso organismo, o portador não deve-se abdicar de uma boa alimentação e de uma vida normal e feliz. Deve-se sim ter uma dieta saudável e equilibrada e seguir seu tratamento. Procure um nutricionista para melhor orientá-lo e sanar suas dúvidas.
Fonte:  ANutricionista.Com – Thiago Fuster Giacometti 

Laranja é vida

A origem das frutas do gênero Citrus confunde-se, no tempo, com a história da humanidade. Sabe-se apenas que a maior parte dos frutos cítricos é originária de regiões entre a Índia e o sudeste do Himalaia, onde se encontram, ainda em estado silvestre, variedades de limeiras, cidreiras, limoeiros, pomeleiras, toranjeiras, laranjeiras amargas ou azedas, laranjeiras doces e de outros frutos ácidos aclimatados ou locais.
Alguns autores afirmam que os citros teriam surgido no leste asiático, de onde teriam sido levados para o norte da África e para o sul da Europa, chegando às Américas por volta de 1500. Porém, tanto na Europa como na América, foi na segunda metade do século XIX que tomaram impulso o cultivo e a comercialização de suas diferentes variedades. Os citros espalharam-se pelo mundo sofrendo mutações e originando novas variedades devido ao seu cultivo via sementes.
A história da laranja inicia-se na India onde era conhecida pelo nome nareng. Da Índia este fruto espalhou-se pela restante da Ásia, passando a denominar-se narang, nome que foi dado a uma cidade paquitanesa, situada na província de Punjab, Da Ásia chegou à Europa, no tempo das Cruzadas trazida pelos cavaleiros da Guerra Santa.Enquanto a fruta denominada laranja não foi conhecida no continente Europeu, estes povos não tinham designação para a cor laranja.
Um dos primeiros locais da Europa onde se iniciou o cultivo da laranja foi na França, tendo os franceses adaptado o nome narang para orange. Foi com este nome que a laranja veio a ser associada em algumas culturas à cor do ouro. A palavra or em francês significa ouro.
Na Ásia e Medio Oriente, onde era conhecida, a laranjeira assumia-se como árvore ornamental e dotada de características extraordinárias. Era muito comum nos pátios das casas árabes abastadas, geralmente associada a uma fonte ou a um lago.
Em várias culturas os seus frutos foram conhecidos como “maçãs do paraiso” É possível ver em pinturas antigas os frutos da “Árvore da Ciência” representados por laranjas.
A cor de laranja encontra-se ligada ao fruto do mesmo nome, e em tempos antigos eram ambos considerados exóticos. Em diversas culturas e línguas o nome deste fruto adquire singularidade própria ao ponto de não haver palavras que rimem bem com ele.

                                                                      Valor nutricional

.     

 Fonte de vitamina C

A laranja é muito conhecida por ser fonte de vitamina C. A vitamina C é o nutriente mais importante da laranja. Duas laranjas por dia fornecem a quantidade de vitamina C de que o organismo precisa

Reflexo da boa alimentação….

Quando dizemos voce é aquilo que você come…. sem exagero, o que voce come é o seu reflexo, o seu padrão alimentar está diretamente relacionado ao seu estado de saúde e qualidade de vida.
Além destes aspectos, vale ressaltar que as pessoas deixaram de dar a devida atenção à alimentação, a qual passou a ser mais uma das atividades a serem realizadas durante o dia.
As estatisticamente, mostram sempre um aumento crescente de indivíduos com excesso de peso nas diferentes faixas etárias e/ou classes sociais. O excesso de peso, deve ser avaliado em graus, sendo que a obesidade, que é considerada um alto grau de excesso de peso, tornando um  problema de saúde pública nos dias atuais.
Devemos lembrar que a prevenção é a melhor solução para todos os problemas e o papel do nutricionista é antes de tudo, auxiliar o paciente na detecção de seus maiores problemas e dificuldades correlacionadas com alimentação e buscar alternativas e soluções.
A reeducação alimentar, é um método que busca ensinar conceitos relacionados com a boa nutrição, de forma que gradativamente o paciente consiga incorporar novos hábitos alimentares em sua rotina. Trata-se de um processo lento e gradativo, que respeita o ritmo de cada indivíduo.
Neste processo, o paciente participa ativamente e aprende a estruturar sua rotina alimentar independente do contexto que está submetido. É primordial promover manutenção de suas preferências e evitar a monotonia.
Além disto, acredita-se que uma mudança no comportamento alimentar, baseada em um processo de aprendizado, é a forma mais efetiva para que esta mudança seja caracterizada
Uma dieta mal conduzida pode acarretar uma série de problemas, dentre eles destacam-se as deficiências de nutrientes importantes, bem como a reengorda.
Durante todo o processo, o paciente é submetido regularmente a Avaliação Nutricional, que permite monitorar, de forma muito precisa, as modificações na composição corporal. Dispomos de um equipamento Bioimpedância, que permite avaliar os três principais compartimentos corporais: gordura, massa ossea e água corporal.
Este instrumento é utilizado para realizarmos um diagnóstico inicial e como método de acompanhamento de evolução.
Sabemos que o nível de Gasto Metabólico é específico para cada pessoa e está correlacionado com faixa etária, estado de saúde, composição corporal, nível de atividade física diária, entre outros. Toda mudança de comportamento é difícil e requer dedicação. Durante o tratamento o paciente é parte ativa do processo e o sucesso esta intimamente relacionado com o grau de comprometimento e compreensão de todo o conteúdo.
O atendimento é individualizado e busca acima de tudo respeitar as peculiaridades de cada paciente. Procuramos sempre trazer os conceitos mais atuais da área.
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.